O Que Há De Vir

“Atenta para as obras de Deus, pois quem poderá endireitar o que ele torceu? No dia da prosperidade, goza do bem; mas, no dia da adversidade, considera em que Deus fez tanto este como aquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele.” {Eclesiastes 7:13-14}

Em seu livro “Inteligência humilhada” Jonas Madureira nos mostra ao longo de mais de trezentas páginas a condição de queda do homem que, estando agora contaminado pelo pecado, tem sua razão limitada pela soberania de Deus.

 

Por mais que avancemos em estudos e produção científica ainda nos veremos diminutos ante a magnitude da criação e os mistérios que a envolve. Diante da angústia ou desespero, o Senhor deposita em nosso coração o dom da fé e nos faz avaliar o que outrora era tido como tenebroso e obscuro como um fragmento da revelação divina aos homens. É posta de lado o medo e a incerteza e vem à tona a contemplação.

Mas há muito tempo isso é discutido, e já no livro de Eclesiastes podemos encontrar uma série de meditações sobre a brevidade da vida e a grandeza de Deus. Atentemos para o capítulo sete, versículos treze e catorze.

 

O autor nos exorta a louvar a Deus diante da prosperidade e até mesmo nos dias maus. Em seguida é explicado o porquê: a alteridade da vida nos põe em uma posição de pequenez e se mostra como um meio usado pelo Senhor para impedir de sermos nós mesmos “senhores” dos nossos dias. Nessa trama somos criaturas.

 

O dia que há de vir é um sinal, um gritante sinal, de que você e eu dependemos totalmente de Deus. Não estamos na mão de uma sádico que vê suas criaturas encurraladas em seu plano, estamos diante de um imensurável Amor que nos convida a refletir sobre nossas limitações.

 

Foi o próprio Jesus, encarnação desse Amor, que nos disse “Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Mt 6:27) e o próprio Jesus, ainda nessa passagem, revela o motivo de tal pergunta: Deus cuida de nós, o tempo todo e todo o tempo (Mt 6:30).

Não importa o que há de vir, pois o amor de Cristo é presente aqui!

Fonte: http://reformai.com/o-que-ha-de-vir/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

logo